Goodreads

Destaques

0 As Minhas Leituras | Janeiro 2016

★★★★★
O Vermelho e o Negro by StendhalViagens Na Minha Terra by Almeida GarrettRoverandom by J.R.R. Tolkien

★★★★✩
As Aventuras de Tom Sawyer by Mark TwainThe Diamond as Big as the Ritz by F. Scott FitzgeraldUm Caso Tipicamente Inglês by Elizabeth EdmondsonHistória de um gato e de um rato que se tornaram amigos by Luis SepúlvedaThe Prince and Other Writings by Niccolò Machiavelli

★★★
A Perfeição de Fiona by Marion ChesneyA Filha Desaparecida by Jane Shemilt

★★
Herbert West by H.P. Lovecraft

Janeiro foi um mês de muitas [e variadas] leituras! Alguns clássicos, alguns livros bem pequeninos e fáceis de ler e outros muito recentes.

O Vermelho e o Negro by StendhalOs meus preferidos de Janeiro foram O Vermelho e o Negro de Stendhal e  Viagens na Minha Terra de Almeida Garrett. Stendhal impressionou-se pela forma suave com que avança pela narrativa, apresentando-nos a Julien, um personagem inesquecível, tecendo uma excelente crítica à sociedade em que este se insere enquanto que, ao mesmo tempo, narra os acontecimentos que levaram Julien ao seu final trágico. 
Viagens Na Minha Terra by Almeida GarrettPor sua vez, Garrett arrebatou-me com a sua prosa encantadora, também ela reflectindo e criticando a situação política e social da época ao mesmo tempo que narra um romance trágico. Admito que a história de Carlos e Joana não me diz muito; interessou-me «apenas» pela sua comparação simbólica à realidade vivida no país, reflectindo o embate entre ideais distintos. 
Roverandom by J.R.R. TolkienPequenos, fantasiosos mas bem significativos, Roverandom  de Tolkien, História de um Gato e de um Rato que se Tornaram Amigos de Sepúlveda e As Aventuras de Tom Sawyer de Mark Twain são encantadores! A criatividade de Roverandom é simplesmente genial; Tolkien leva-nos numa maravilhosa aventura desde a superfície da Lua até às profundezas do mar!
História de um gato e de um rato que se tornaram amigos by Luis SepúlvedaSepúlveda mostra-nos explica-nos com enorme simplicidade os princípios da amizade. Além de me levar a considerar a amizade no geral, este livro encantou-me pela chamada de atenção e pequena homenagem aos pequenos seres peludos de quatro patinhas que nos acompanham na vida e que infelizmente, e de forma tão dolorosamente injusta, não nos acompanham tempo suficiente.
As Aventuras de Tom Sawyer by Mark TwainTom e Huckleberry, transportam-nos até tempos em que nos expressávamos com igual simplicidade, passando muitas vezes pela casmurrice [demasiadas vezes, no meu caso] e tirávamos as mais rápidas [e extremamente improváveis] conclusões, tomando inclusivamente a magia e o fantástico como bases plausíveis para justificar qualquer fenómeno que escapasse à nossa compreensão. Para além de me ter permitido retroceder alguns aninhos, a comicidade das sucessivas tropelias de Tom é genuína e a esperteza com que ele lida com as situações que se lhe apresentam é interessante o suficiente para que este possa ser também um livro para os mais crescidos. 
O Príncipe de Maquiavel e Um Diamante do Tamanho do Ritz de Fitzgerald estavam  ambos na minha prateleira de livros por ler à demasiado tempo!
The Diamond as Big as the Ritz by F. Scott FitzgeraldUm Diamante do Tamanho do Ritz é o terceiro livro que leio de F. Scott Fitzgerald e, embora não suplante O Grande Gatsby, gostei muito. Aqui Fitzgerald deixa-nos uma crítica claramente uma crítica à importância que a sociedade dá ao dinheiro e aos que o possuem. O dinheiro e a obsessão pelo mesmo revelam-se uma prisão para os personagens do livro, resultando na perda de valores morais e na realização de actos terríveis. Por entre sátira, fantasia e hipérbole, F. Scott Fitzgerald arranjou uma forma bem real de ridicularizar a sociedade, narrando simultaneamente o romance de John Unger, a quem a provação em causa acaba por ensinar algumas coisas e desencadear o seu amadurecimento sem, no entanto, fazer com que ele perca um optimismo ligeira e propositadamente ridículo.
The Prince and Other Writings by Niccolò MachiavelliSem escrúpulos, Niccolò Machiavelli analisa e expõe o comportamento que um governador deve adotar para subir ao poder e manter-se no topo. Bem-sucedidos ou completamente arruinados, o escritor serve-se de vários exemplos para fundamentar as suas conclusões - homens que reconheceram a oportunidade gerada pela atribulação e se serviram dela para revelar as excecionais mentes e forças que os colocariam na História. Com o seu tom direto e conciso, O Príncipe reúne verdades intemporais, tornando-se uma excelente e inquietante fonte de reflexão política.
Um Caso Tipicamente Inglês by Elizabeth EdmondsonGostei muito de Um Caso Tipicamente Inglês da já nossa conhecida Elizabeth Edmondson. Além das várias suspeitas que Edmondson nos obriga a levantar sobre as diversas personagens do livro, a escritora cria um ambiente rural encantador, cheio de mexericos e curiosidade, numa época pós-guerra já de si muito interessante.
Este é o primeiro livro da nova série da autora e eu mal posso esperar pelo próximo!
A Perfeição de Fiona by Marion ChesneyTambém gostei muito de A Perfeição de Fiona - acreditem que vale bem a pena - mas a sua fraca representação literária leva-me a ficar, muito injustamente, admito, pelas três estrelas. Chesney tem o dom de distribuir comicidade não só na base da acção mas também nos pequenos pormenores e nas identidades e idiossincrasias dos seus personagens. 
Também estou desejosa de ler o próximo livro desta série...e estas edições são tão bonitas!
Herbert West by H.P. LovecraftTenho lido alguns dos contos de H. P. Lovecraft e em Janeiro foi a vez de  Herbert West: Reanimator, embora pessoalmente este conto não me tenha agradado muito, conheço a competência e criatividade do autor e sei que são ambas fantásticas portanto não tenho este trabalho, produzido ainda na imaturidade do escritor, como referência.

A Filha Desaparecida by Jane ShemiltPelo contrário, A Filha Desaparecida, para o qual tinha grandes expectativas, acabou por ser uma desilusão, especialmente porque estava a gostar do livro e do mistério que nele consta mas o final é uma grande desilusão e frustração! Ao longo do livro a falta de acção foi sendo largamente compensada pelo meu interesse na resolução do mistério, mas as expectativas que Shemilt foi criando acabaram por ficar longe de se verem correspondidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário