Goodreads

Destaques

1 Vaticanum | Opinião


Wook.pt - VaticanumUm comando do estado islâmico entra clandestinamente no Vaticano e o Papa desaparece. Horas depois surge na internet um vídeo em que os terroristas mostram o Sumo Pontífice em cativeiro e fazem um anúncio chocante: O PAPA SERÁ DECAPITADO EM DIRECTO À MEIA-NOITE. O relógio começa a contar. O rapto do Papa desencadeia o caos. Milhões de pessoas saem à ruas, os atentados sucedem-se, mutiplicam-se os confrontos entre cristãos e muçulmanos, vários países preparam-se para a guerra.

Apanhado no epicentro da crise quando trabalha nas catacumbas da Basílica de São Pedro, Tomás Noronha vê-se envolvido na investigação para descobrir o paradeiro do Papa e cruza-se com um nome enigmático: OMISSIS. A pista irá conduzi-lo ao segredo mais sombrio da Santa Fé.

Usando informação genuína para nos revelar o que se esconde nos bastidores do Vaticano, o escritor preferido dos portugueses está de regresso com o thriller do ano.

Com Vaticanum José Rodrigues dos Santos mostra mais uma vez por que razão é considerado mestre do mistério real.


Autor: José Rodrigues dos Santos 
Editor: Gradiva (Outubro, 2016) 
Género: Romance > Thriller
Páginas: 608


opinião
★★★✩✩ (3/5)

Estou sinceramente desiludida com o trabalho de José Rodrigues dos Santos neste livro; especialmente por estar a apreciar bastante aquilo que considero uma evolução na sua escrita na trilogia As Flores de Lótus.

Assim, tenho quatro principais problemas com este livro; tratam-se de alguns pontos que, por esta altura o autor já devia ter em conta:
1 - Temos (o leitor) capacidade para reter informação, não sendo portanto necessário repetir várias vezes a mesma noção;
2 - Não lhe fica bem encaixar personagens do sexo feminino sempre em duas categorias: 'femme fatal' ou 'galinha tonta'... há que encontrar aqui um equilíbrio...
3 - Se Tomás deixasse as pessoas acabar os raciocínios antes de colocar questão atrás de questão o livro teria metade do tamanho. O diálogo torna o livro dinâmico, mas posto desta forma é irritante.
4 - Não faz sentido escrever com enorme suspense quando o leitor já está mesmo a ver o que vai ser revelado ou o que vai acontecer... e não por ser especialmente perspicaz... mas apenas porque se torna francamente óbvio!

Posto isto, e como sempre, partindo de um excelente trabalho de investigação, José Rodrigues dos Santos pegou num tema interessantíssimo e esmiuçou-o de forma muito satisfatória. Também gostei do final a la Poirot, em que Tomás coloca todos os suspeitos na mesma sala e explica o que aconteceu, passo a passo, até as evidências apontarem para um culpado.

Vi-me assim dividida entre o meu interesse e revolta em relação ao tema central e a minha falta de paciência para Tomás Noronha.

--- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- ---

Encontramos Tomás Noronha e a namorada, Maria Flor, no Vaticano, mais precisamente no túmulo de S. Pedro. Tomás foi contratado pelo Vaticano para catalogar as sepulturas que se encontram na necrópole e procurar vestígios dos restos mortais de S. Pedro, uma descoberta que o imortalizaria como historiador.
A investigação é subitamente suspensa, uma vez que há receio que ocorra desmoronamento e resultante infiltração de água, afectando a integridade estrutural da basílica, mas uma nova investigação surge quando o próprio Papa pede ajuda a Tomás para solucionar o mistério relacionado com um assalto recente no Vaticano. Quando o Papa é raptado e o perigo do fundamentalismo islâmico se torna bem real, Tomás é confrontado com o óbvio: há um Judas na Santa Sé e o tempo para o encontrar, salvando assim a vida do Sumo Pontífice, escasseia.




Um comentário:

  1. José Rodrigues dos Santos é, na minha opinião, um péssimo escritor.

    ResponderExcluir