Goodreads

Destaques

0 Terra Sonâmbula | opinião

Wook.pt - Terra SonâmbulaPrimeiro romance do moçambicano Mia Couto, já bem conhecido e apreciado pelo público português, Terra Sonâmbula tem como pano de fundo os tempos da guerra em Moçambique, da qual traça um quadro de um realismo forte e brutal. 

Dentro deste cenário de pesadelo movimentam-se personagens de uma profunda humanidade, por vezes com uma dimensão mágica e mítica, todos vagueando pela terra destroçada, entre o desespero mais pungente e uma esperança que se recusa a morrer. 

Terra Sonâmbula é um romance admirável, sem dúvida uma das melhores obras literárias que nos últimos anos se escreveram em português. Foi considerado um dos melhores livros africanos do século XX.


Autor: Mia Couto
Editor: Editorial Caminho (2013)
Género: Romance
Páginas: 336

opinião
★★★★★ (5/5)

Terra Sonâmbula exprime uma abordagem muito interessante, e algo perturbadora, sobre as consequências da guerra civil em Moçambique. Nele lemos sobre o resultado da atrocidade e da brutalidade da guerra, sem a violência propriamente dita.

Inúmeras metáforas servem para criar ora imagens terríveis ora imagens muito bonitas, servindo-se do folclore da terra para criar a atmosfera ideal, mítica. Tanto simbolismo não vem sem grande ambiguidade, pelo que a interpretação do texto pode ser, por vezes, desafiante... mas muito compensatória.

Desistência, desespero, perseverança e esperança misturam-se em igual medida no meio de tanto caos, o 'sonambolismo' parece estender-se ao leitor, tal é o talento do escritor, e a excelência da sua prosa, a originalidade com que manobra o nosso idioma, são, só por si, motivo suficiente para ler este livro.

Frases Preferidas:
'quanto tempo demora o tempo!' - p. 121

'Uma coisa a guerra faz acontecer: tudo se vai tornando verdade.' - p. 129

'São nossos olhos que fazem o belo!' - p. 173

'Em terra de misérias um pequeno nada é olhado com muita inveja. E, afinal, se entende: um coxo faz inveja a um paralítico.' - p. 179

'A riqueza é como o sal: só serve para temperar.' - p. 179

'Casas juntas, ardem juntas.' - p. 275

'as palavras de um dirigente devem encostar com a sua prática, afinal onde estão os princípios, a razão que pediram aos mais jovens para dar suas vidas?' - p. 278







Nenhum comentário:

Postar um comentário