Goodreads

Destaques

0 Amanda Knox: Waiting to Be Heard



Um elenco jovem e a adição de detalhes escabrosos tornaram o caso que levou à condenação, em 2007, de Amanda Knox, acusada de assassinar a colega de quarto (Meredith Kercher), extremamente mediático.

Promotores e tablóides têm vindo a descrever Amanda de forma muito negativa enquanto que, muito pelo contrário, a família sempre a caracterizou como uma jovem inocente que foi apanhada pelo disfuncional sistema de justiça italiano. Agora, é a vez de Amanda pintar o seu próprio retrato, através de um livro de memórias intitulado «Waiting to Be Heard» a ser publicado a 30 de Abril.




Amanda descreve-se em «Waiting to Be Heard» como uma criança «patética» e «perdida», que aos 20 anos de idade ainda mantinha uma visão infantil das pessoas; uma jovem que amava os pais, era bem sucedida nos estudos e respeitava a autoridade. Em suma, uma jovem estudante americana perfeitamente normal, vítima de uma série de mal-entendidos e erros infelizes que acabaram por tornar o seu ano lectivo no estrangeiro um autêntico pesadelo. 

Depois de ter estado presa durante 4 anos, após a condenação em 2009, Amanda e o namorado da altura foram absolvidos em 2011 após apelação ao tribunal. A jovem regressou a casa, em Seattle, onde estuda escrita criativa, mas no mês passado o Supremo Tribunal italiano ordenou novo julgamento, como resultado da intervenção de promotores e advogados da família Kercher, para o ano que vem. Rudy Guede, nativo da Costa do Marfim, acusado na mesma altura que Amanda e o namorado, Raffaele Sollecito, foi condenado por abuso sexual e homicídio de Meredith.

Em «Waiting to Be Heard» Amanda relata detalhadamente o que se recorda de fazer na noite do homicídio de Meredith Kercher: ela e o namorado fumaram marijuana, Amanda tocou músicas dos Beatles na sua guitarra durante cerca de uma hora e foram depois para a casa de Raffaele onde fizeram download do filme «Amélie», fumaram novos charros e ela leu um bocado da edição alemã de um livro do Harry Potter. Independentemente do que Amanda relata ter feito nessa noite, na manhã de Novembro de 2007 Meredith foi encontrada semi-nua, envolta num edredom, com a garganta cortada. 

Amanda afirma que os relacionamentos que teve com homens em Itália, utilizados por detractores para denegrir ainda mais a sua imagem, foram apenas tentativas de se tornar mais adulta e confortável com o tipo de relações ocasionais, frequentemente praticadas por pessoas da sua idade. Na tentativa de patentear a sua inocência, Knox acaba por fazer também algumas acusados, sublinhando os excessos do Ministério Público, a pobre execução do trabalho policial e a viabilidade dos testes de DNA. 

É difícil estimar o interesse público que o livro irá gerar, mas a disputa das editoras  foi enorme, com 7 editoras a licitar pelos direitos da sua publicação. A enorme publicidade e atenção que este caso recebeu internacionalmente e o espectáculo mediático de dois julgamentos estarão na base deste interesse. Todo o tempo dedicado à introspecção, enquanto detida no estabelecimento prisional, e a escrita de diários e poemas parecem ter resultado numa óptima capacidade de transmitir as suas emoções: choque, vulnerabilidade, isolamento, ...

Nenhum comentário:

Postar um comentário