Goodreads

Destaques

0 A Alvorada dos Deuses {Livros Novembro}


No inverno de 1477, Berardo de Varatojo, padre franciscano estigmatizado, viaja para a distante Thule (Islândia) em busca de respostas para a sua crise de fé. Contudo, acaba raptado por desconhecidos antes de as conseguir encontrar, e os seus captores afirmam ser deuses, os sete destinados a sobreviver a um Crepúsculo dos Deuses de que nunca ouvira falar.

Aqueles que Berardo toma por feiticeiros pagãos confessam-se numa encruzilhada, culpando o Deus cristão pelo seu dilema, e, segundo eles, o franciscano é precisamente a chave para a sua salvação, embora ele não consiga sequer conceber como.


Autor: Filipe Faria  
Editor: Editorial Presença (Novembro, 2015) 
Género: Literatura Fantástica
Páginas: 176


Livros de Filipe Faria...

A Alvorada dos Deuses, 2015 Editorial Presença
O Andersenal, 2013  Editorial Presença 
O Perraultimato, 2012  Editorial Presença 
Oblívio (Crónicas de Allaryia #7), 2011  Editorial Presença
O Fado da Sombra (Crónicas de Allaryia #6), 2009  Editorial Presença
Vagasde Fogo (Crónicas de Allaryia #5), 2007  Editorial Presença
Talismã, 2006  Devir
A Essência daLâmina (Crónicas de Allaryia #4), 2005  Editorial Presença
MarésNegras (Crónicas de Allaryia #3), 2003  Editorial Presença
Os Filhos doFlagelo (Crónicas de Allaryia #2), 2002  Editorial Presença
A Manopla deKarasthan (Crónicas de Allaryia #1), 2002  Editorial Presença



Filipe Faria nasceu em 1982, em Lisboa. Frequentou a Escola Alemã de Lisboa desde o jardim de infância até completar o 12º ano de escolaridade. O contacto e convívio com aquela cultura de origem germânica, tão diferente da nossa, possibilitou a abertura de novos horizontes. Impulsionado pelo forte interesse demonstrado pelo período negro da Idade Média, e pela descoberta algo fortuita de uma verdadeira relíquia na biblioteca escolar - a Tolkien Bestiary -, cultivou, desde cedo, a paixão pela literatura fantástica. As «Crónicas de Allaryia» assinalam a sua estreia no mundo literário. Uma obra que nasceu de uns esboços de uma aventura, iniciados hà cerca de quatro anos, que lentamente ganharam corpo e forma e evoluíram para um livro de quase 600 páginas. Em 2001 foi o vencedor do Prémio Branquinho da Fonseca, organizado pela Fundação Calouste Gulbenkian e Jornal Expresso. Em 2002 ganhou o Prémio Matilde Rosa Araújo - Revelação na Literatura Infantil e Juvenil. Actualmente encontra-se a frequentar o curso de Línguas e Literaturas Modernas na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas. E o resto é uma história ainda por escrever…



Nenhum comentário:

Postar um comentário