Goodreads

Destaques

0 O que ando a ler...Agosto 2014



Preferidos do Mês:
3. Envolvidos: 4★
5. NYPD Red: 4★

  O meu preferido deste mês? As Velas Ardem Até ao Fim (SÁNDOR MARAI - Dom Quixote, 2001). Sem dúvida! A lucidez do autor na abordagem de complexos temas existenciais é incrível... e invejável. Também incrível é o empolgante O Segredo do Meu Marido (LIANE MORIARTY - ASA, 2014), com uma história fantástica, construída de modo genial.
  Comecei a acompanhar duas novas séries este mês com Envolvidos (EMMA CHASE, TopSeller, 2014) - uma formidável combinação de sedução e humor - e NYPD Red (JAMES PATTERSOS e MARSHALL KARP, TopSeller, 2013 e 2014), uma das minhas séries policiais preferidas do momento, com casos de homicídio pouco complicados mas muito interessantes. 
  As Raparigas Cintilantes (LAUREN BEUKES - Porto Editora, 2014), provavelmente o mais original que li este mês, acabou por ser uma desilusão, não por o livro ser mau mas porque, tendo ouvido falar tanto sobre ele, acabou por ficar aquém das expectativas que criei. A trilogia McCabe, da qual li agora o segundo livro, Sedução nas Highlands (MAYA BANKS - Bertrand Editora, 2013), é uma série pela qual também não me consigo sentir empolgada... Em compensação, O Primeiro Marido (LAURA DAVE - TopSeller, 2014) com a divertida Annie e as suas indecisões em relação à vida e ao amor, revelou-se uma óptima surpresa. Estes dois livros representam casos para os quais meia estrela tornaria a situação muito mais justa já que O Primeiro Marido está mais para as três estrelas e meia e Sedução nas Highlands para as duas estrelas e meia. 
  De duas escritoras já bem nossas conhecidas, li Tesouros Escondidos (NORA ROBERTS - Saída de Emergência, 2009)Uma Villa em Itália (ELIZABETH EDMONDSON - ASA, 2008) - ambos daquele tipo de livros que, embora longe de nos levar a passar a barreira do histerismo em relação a um livro, não deixam de nos proporcionar boas horas de entretenimento. 
  

28/Agosto
O Segredo do Meu Marido: 5★
O segredo do Meu Marido é daqueles raros livros que recomendo à generalidade dos leitores, sem ter em conta as suas preferências pessoais, já que me parece impossível não apreciar esta leitura.
Liane Moriarty debruça-se bastante sobre a influência que pequenos gestos podem acabar por ter na vida, por vezes, mudando-a para sempre. Gostei muito do final, no qual tudo acaba por encaixar no devido lugar e onde, brincando um bocadinho ao «e se…», Moriarty nos deixa espreitar as diferentes possibilidades, no caso de uma ou outra coisa ter ocorrido de forma diferente.


O Primeiro Marido: 3★
O Primeiro Marido
Gostei muito do sentido de humor equilibrado e das situações caricatas com que Laura Dave escreveu a sua história, combinando estes momentos com a elevada carga introspectiva com que a narrativa é desenvolvida. Annie luta por perceber os seus próprios sentimentos e interpretar as suas acções. Embora confusa, tenta analisar e compreender tudo o que lhe acontece, de forma a decidir o que quer viver com e o que está disposta a viver sem.
Annie acaba finalmente por compreender que liberdade não é sinónimo de não ter nada a perder e que a vida é simplesmente confusa.


Uma Villa em ItáliaApesar de ter gostado muito da história e da atmosfera misteriosa em que grande parte dela está submersa, acho que lhe faltou alguma intensidade. Aborreceu-me a indolência de algumas personagens mas, em compensação, gostei da inclusão de discussões interessantes que fariam sentido na altura do pós-guerra. 


14/Agosto
...Para mim é mais uma prova de que, por vezes, criar tanto mediatismo e euforia em volta de um livro pode acabar por prejudicá-lo. A história e o conceito são bastante originais, não hesito em exaltar o trabalho da autora, mas sabendo de um ou outro autor que elevariam este livro até ao patamar do absurdamente fenomenal, fico um bocadinho ressentida com o trabalho final de Lauren Beukes. 


NYPD Red: 4★
Muito empolgante!
James Patterson e Marshall Karp avançam pela narrativa a um ritmo electrizante, alternando entre o progressivo desenvolvimento das personagens e a construção de um enredo muito interessante. Este dupla sabe, sem dúvida, como entreter o leitor!
Tenho-me mantido afastada dos livros de James Patterson por este ser um escritor tão prolífico e em tantos géneros diferentes que se tornou suspeito para mim. Desconheço a extensão do seu envolvimento nas co-autorias, mas começo a perceber de onde vem tanto sucesso.


Quando Zach Jordan chega à investigação - connosco a espreitar-lhe entusiasticamente por cima do ombro - já o serial killer Hazmat vai na sua 4ª vítima...parece que alguém tem um novo ponto de vista sobre como «fazer justiça».
 Adorei que tanto os crimes como o objectivo por detrás dos mesmos fossem completamente diferentes do livro anterior - esta originalidade dentro da mesma série deixa-me entusiasmada em relação aos próximos volumes.
Cheio de acção e narrado a um ritmo que mal nos dá tempo para pensar, esta é definitivamente uma série para manter debaixo de olho!


8/Agosto
'As Velas Ardem Até ao Fim' é um livro incomparável. Relembrou-me a magia dos livros, a magia de encontrar um inesperado tesouro literário cujos fragmentos permanecerão comigo muito depois de terminada a leitura.
Sándor Márai disserta com alguma nostalgia sobre tópicos que já nos passaram pela cabeça mas que temos dificuldade em concretizar e verbalizar. Aqui, cada frase parece significativa, cada ideia é apresentada e desenvolvida de forma perfeita. Invejo este tipo de lucidez intelectual. Esta perspicácia mental. Posso apenas calcular por alto o grau de maturidade, a experiência de vida e a sabedoria necessárias para escrever desta forma, sobre estes temas. Não consigo, obviamente, descrevê-lo como merece, mas posso dizer que lê-lo é uma experiência magnífica.


Envolvidos: 4★
O grande trunfo deste livro é o narrador - um playboyzinho rico e convencido, promíscuo além da conta, irritantemente egocêntrico, temperado com uma pitada de chauvinismo e pretensão em quantidades tóxicas… mas cuja linguagem directa e burlesca acaba por fazer as nossas delícias. Adorei acompanhar o ponto de vista de um autêntico cretino, vê-lo lentamente a apaixonar-se pelo que começou por considerar apenas um belo naco de carne e esfalfar-se para se redimir das suas atitudes moralmente dúbias. Envolvendo sedução, sensualidade, romance e muito humor, Emma Chase acertou em cheio neste primeiro livro.


Tesouros Escondidos já está há algum tempinho entre nós mas só agora tive oportunidade de o ler. Posso dizer que gostei; o enredo não é extraordinário mas a história é boa e está bem contada. Dificilmente sobressairia no mercado actual, com tanta oferta de thrillers empolgantes e romances arrebatadores.
A escrita é a habitual mistura de competência e elegância, pontilhada com diálogos dinâmicos e, neste caso, divertidos, já que Dora e Jed estão em picardia constante. Aprecio sempre quando Roberts leva o seu tempo a contar e a desenvolver a sua trama, o que nem sempre acontece nas trilogias que escreve.


Sedução nas Highlands, o segundo livro da trilogia McCabe, é uma história apaixonada, fácil de ler e de acompanhar, que explora um amor impossível mas que simplesmente não pode ser ignorado. Embora previsível, não deixa de ser interessante observar um guerreiro escocês ceder aos desejos do coração, numa luta interna entre o que deve fazer para benefício do clã e o que quer fazer por si próprio.
Apreciei a tentativa de Maya Banks em manter tudo o mais realista possível e a reafirmação da importância do clã naquela época, em como o corte de relações com o clã se traduzia na perda de identidade individual.




Nenhum comentário:

Postar um comentário