Goodreads

Destaques

0 O Espião que Devia ter Morrido

A HISTÓRIA REAL DO ESPIÃO QUE DEVIA TER MORRIDO 
POR REVELAR SEGREDOS INTERNACIONAIS
  «O Inferno existe e eu estive lá.». É com estas palavras que o Agente Kasper - um ex-carabiniere que se tornou agente dos serviços secretos italianos e, depois, do ROS (Raggruppamento Operativo Speciale), o único órgão policial em Itália com competência para investigar o crime organizado e o terrorismo - começa a contar a sua história a Luigi Carletti. 
  Mais de 300 dias preso, quase morto e em condições desumanas no Camboja, por revelar o maior escândalo internacional de emissão de dólares falsos para financiamento de operações das maiores agências de segurança internacionais, assim começa a história do Agente Kasper.
  Hoje com 55 anos, decidiu contar a sua história e revelar ao mundo como são produzidas quantidades assustadoras de dólares falsos que são libertados para os mercados internacionais, que irão servir para operações desencadeadas por agências internacionais de segurança como a própria C.I.A.
  Sempre envolvida num secretismo desmedido, a missão encomendada a Kasper era descobrir o que se escondia num sótão na embaixada da Coreia no Cambodja. O Agente Kasper jamais podia imaginar o que ia encontrar: milhões e milhões de dólares em notas de cem, todas impressas fora de território americano. As supernotes. Poucas horas após esta macabra descoberta era preso e torturado. A milhares de quilómetros da sua pátria e sem qualquer apoio internacional, estava abandonado à sua sorte. Sobreviveu para contar a sua história.
  O Espião Que Devia Ter Morrido é narrado com o ritmo e a força de uma fulgurante história de espionagem que tece e revela páginas inéditas da história recente.

Autor: Agente Kasper e Luigi Carletti
Editor: Marcador (Julho, 2014)
Páginas: 390
Original: Supernotes (2014) [Goodreads]
   

«Notas de 100 dólares são impressas na Coreia do Norte em máquinas autorizadas e com as quais os Serviços de Inteligência dos EUA pagam (de forma secreta e escondida da opinião pública) a regimes criminosos, traficantes de droga e outros agentes do mercado negro internacional. Tudo em nome da segurança nacional americana.»
 - La Repubblica




✏ AGENTE KASPER é apenas um dos nomes de código usados na sua longa passagem pelos serviços secretos e pelo ROS. Pilote de aviação, especialista em artes marciais e, todo o tipo de armas e explosivos, Kasper protagonizou importantes operações contra a criminalidade internacional relativa ao tráfico de droga e à lavagem de dinheiro.

✏ LUIGI CARLETTI trabalhou durante trinta anos no Gruppo Espresso-Repubblica com as funções de enviado especial, redator-chefe e diretor. Para o La Repubblica realizou investigações sobre os grandes temas da atualidade. Como escritor, tem publicações em Itália e em França. Em 2013, foi lançado pela editora Mondadori o seu livro Cadavere Squisito. 





Nenhum comentário:

Postar um comentário