Goodreads

Destaques

0 A Improbabilidade do Amor {Livros Outubro}


Um quadro velho e sujo é comprado numa obscura loja de velharias por Annie McDee. Chef talentosa mas falida, apaixonada mas com o coração partido, Annie cedeu a um impulso e gastou nele as últimas 75 libras que tinha no bolso. E enquanto se debate com a solidão e a falta de perspetivas, está longe de imaginar as repercussões da sua humilde extravagância. É que, singelamente pendurada entre os tachos e as panelas da sua cozinha, está agora uma obra-prima.

A Improbabilidade do Amor é o quadro perdido de um célebre pintor do século XVIII. Na tentativa de desvendar a verdadeira identidade da obra, Annie vai deparar com um dos segredos mais bem guardados da História da Europa. E ser inadvertidamente arrastada para o frenético mundo da arte e perseguida por potenciais compradores.

De uma princesa árabe a um oligarca russo, passando por um conde falido e uma socialite americana, não falta quem esteja disposto a tudo para acrescentar mais uma peça à sua coleção. Mas A Improbabilidade do Amor não é apenas uma obra de arte. A sua alma é-nos gradualmente revelada. Na sua voz sedutora, sofisticada e muito cínica, o quadro comenta a atribulada vida amorosa de Annie, narra a sua própria história e ajusta contas com os seus (muitos) donos anteriores, entre eles, Luís XV, Voltaire e Catarina, a Grande…


Autor: Hannah Rothschild  
Editor: Edições Asa (Outubro, 2015) 
Género: Romance
Páginas: 528
Original: The Improbability of Love (2015)   



«The Improbability of Love is a satirical romp through the London art scene, with a host of colourful characters from art dealers to exiled oligarchs, fixers and museum chiefs to auctioneers and wealthy patrons.» - Nick Clark, The Independent



Hannah Rothschild é escritora, realizadora e empresária. Os seus documentários foram exibidos nos canais BBC e HBO, bem como em vários festivais de cinema. Já escreveu argumentos para o realizador Ridley Scott e para a produtora Working Title, e os seus artigos figuram em publicações como a Vanity Fair, The New York Times, Harper’s Bazaar e Vogue, entre outras. Foi recentemente nomeada diretora da National Gallery, sendo a primeira mulher a ocupar o cargo. Integra ainda o conselho de administração da Tate Gallery e de Waddesdon Manor, e é vice-presidente do Hay Literary Festival.


Nenhum comentário:

Postar um comentário