Goodreads

Destaques

0 Livros de Arturo Pérez-Reverte


O Mestre de Esgrima

O mestre de esgrima, de seu nome Jaime de Astarloa, é um cavalheiro que preza acima de tudo os valores da dignidade e da honra. Na cidade de Madrid, século de XIX, cujo pano de fundo são as conspirações que se desenrolam para pôr fim a uma monarquia decadente e sem soluções, Jaime de Astarloa vive indiferente aos acontecimentos políticos, concentrado nas lições de esgrima que proporciona aos seus alunos, e sobretudo, em realizar o seu sonho: descobrir a estocada imparável, a estocada final. 
Um dia, o mestre de esgrima é contactado por uma misteriosa senhora, Adela de Otero, que deseja ter com ele aulas de esgrima. Essa senhora, para além de misteriosa, é belíssima, e o mestre apaixona-se pelos seus olhos violeta, pela sua personalidade enigmática. 
Em redor dessa paixão se desenrola o resto do romance: são revelados esquemas de chantagem, desvendadas ambições sem limite. Adela de Otero, o Marquês dos Alumbres, discípulo do mestre cujas paixões são a esgrima e as mulheres, Agapito Carceles, amigo de Jaime Astarloa que apregoa todas as tardes, num café de bairro, as virtudes da republica e da guilhotina e, o próprio mestre, são envolvidos num redemoinho de mistério e violência, calculismo e sangue. A esgrima, que o mestre ensina como arte da qual emanam os valores de honra que devem reger uma vida, transforma-se no instrumento de vingança de alguém que não tem escrúpulos nem limites. 
Estamos perante um excelente romance, muito bem construído, que não pode deixar de impressionar quem o lê.

Editor: Edições Asa (2002)
Género: Romance
Páginas: 336
Original: El maestro de esgrima (1988)

A Rainha do Sul

O novo romance de Arturo Pérez-Reverte tem como personagem principal uma mulher: Teresa Mendoza. Uma mulher solitária que constrói um império a partir do nada, num mundo implacável inteiramente dominado por homens, o mundo do narcotráfico. Uma história de corrupção, amor e morte que nos revela o que de melhor e de pior existe no ser humano. Teresa vê-se forçada a fugir do México quando o namorado, que trabalhava para um cartel de droga, é assassinado. Este vai ser o momento de viragem da sua vida. Pobre e analfabeta, estava longe de imaginar que acabaria por se converter numa lenda do narcotráfico espanhol. No final, aquela que regressa à sua terra natal para ajustar contas com o passado será uma Teresa muito diferente da que fugiu doze anos antes.

Editor: Edições Asa (2003)
Género: Romance
Páginas: 440
Original: La reina del sur (2001)

A Tábua de Flandres

No fim do século XV, um velho mestre flamengo introduz num dos seus quadros, sob a forma de uma partida de xadrez, a chave de um segredo que poderia ter mudado a história da Europa. Cinco séculos depois, uma jovem restauradora de obras de arte, um antiquário homossexual e um excêntrico jogador de xadrez conjugam os seus esforços para tentar resolver o enigma. A investigação conduzi-los-á através de uma apaixonante pesquisa na qual os lances do jogo irão abrindo as portas de um mistério que acabará por envolver todos os seus protagonistas. "A Tábua de Flandres" é um apaixonante jogo de armadilhas e inversões - pintura, música, literatura, história, lógica matemática - que Arturo Pérez-Reverte vai encadeando com diabólica destreza.

Editor: Dom Quixote (2004)
Género: Romance
Páginas: 308
Original: La tabla de Flandres (1990)

O Clube Dumas

Pode um livro ser alvo de investigação policial como se de um crime se tratasse? Podem as suas páginas ser encaradas como pistas para um mistério com três séculos?
Lucas Corso, especialista em descobrir edições raras, está a tentar responder a este enigma quando é incumbido de uma dupla missão: autenticar um manuscrito de Os Três Mosqueteiros e decifrar o mistério de um livro queimado em 1667 e que, afirma a lenda, foi co-escrito por Satanás.
Dos arquivos do Santo Ofício às poeirentas estantes dos alfarrabistas e às mais selectas bibliotecas internacionais, Corso é atraído para uma teia de rituais satânicos, práticas ocultas e duelos com um elenco de personagens estranhamente semelhante ao da obra-prima de Alexandre Dumas. Auxiliado por uma beldade misteriosa com o nome de uma heroína de Arthur Conan Doyle, este «caçador de livros« parte de Madrid rumo a Paris, passando por Sintra, em perseguição de um sinistro e aparentemente omnisciente assassino.
Parte mistério, parte puzzle, parte jogo intertextual, O Clube Dumas é uma das obras emblemáticas de um dos mais reputados escritores da actualidade. Foi adaptado para o cinema sob o título A Nona Porta, realizado por Roman Polanski e protagonizado por Johnny Depp.

Editor: Edições Asa (2011)
Género: Romance
Páginas: 416
Original: El Club Dumas (1992)

O Cemitério dos Barcos sem Nome

Muito mais do que um romance de amor e aventuras… Um marinheiro sem barco, desterrado do mar, conhece uma estranha mulher, que possui, talvez sem o saber, a resposta a perguntas que certos homens fazem desde há séculos. Arturo Pérez-Reverte, o autor espanhol contemporâneo mais lido no mundo inteiro, leva-nos, na companhia de Coy e Tanger, à procura do Dei Gloria, um bergantim que há mais de duzentos anos repousa nas águas profundas do Mediterrâneo. De Barcelona a Madrid, de Cadiz a Gibraltar, ao longo das costas de Cartagena, o objectivo é sempre um tesouro fabuloso, que talvez contenha a resposta a um dos grandes enigmas da história de Espanha. Nunca o mar e a História, a aventura e o mistério, se tinham combinado de um modo tão extraordinário. De Melville a Stevenson e Conrad, de Homero a Patrick O’Brian, toda a grande literatura escrita sobre o mar lateja nas páginas desta história fascinante e inesquecível, assinada por um grande autor ibérico de projecção internacional.

Editor: Edições Asa (2005)
Género: Romance
Páginas: 454
Original: La carta esférica (2000)
COMPRAR

O Hussardo

Andaluzia, 1808. Numa terra assolada pelo horror da guerra, Frederic Glüntz, jovem oficial do regimento de cavalaria de Napoleão, prepara-se para a sua primeira incursão num campo de batalha. Na iminência do combate contra um exército aguerrido armado até aos dentes e disposto a morrer pela sua terra, os ensinamentos recebidos por Glüntz na escola militar parecem distantes. Rapidamente, uma realidade carregada de terror e sangue acabará por se impor, conduzindo o jovem hussardo a uma reflexão sobre a morte e o sentido da vida. Para trás ficam os seus ideais românticos de glória e heroísmo, derrotados face à crueldade da guerra.
A eterna luta entre idealismo e realismo, em que este último se impõe graças a uma das mais elementares razões humanas - a sobrevivência -, é aqui retratada em toda a sua crueza e impiedade, mas também com todo o talento e mestria a que Arturo Pérez-Reverte já nos habituou.

Editor: Edições Asa (2006)
Género: Romance
Páginas: 140
Original: El húsar (1986)
COMPRAR

O Pintor de Batalhas

Do Vietname ao Líbano, do Cambodja à Eritreia, de El Salvador à Nicarágua, de Angola e Moçambique aos Balcãs e ao Iraque… Depois de trinta anos a tirar fotografias em busca da imagem definitiva, do momento a um só tempo fugaz e eterno que explica tudo, o fotógrafo de guerra André Faulques substituiu a câmara pelos pincéis. Não conseguindo tirar a foto capaz de transmitir o caos do Universo, agora, enquanto tenta compreendê-lo, começa a pintar um grande fresco circular no muro de uma torre de vigia no Mediterrâneo, onde vive sozinho, perturbado pela memória de uma mulher que nunca conseguiu esquecer e pela visita inesperada de um homem que o quer matar. O homem é uma sombra do seu passado, uma das inúmeras faces da guerra com que ele ganhou a vida. Mas o poder da imagem vai muito além da sua existência física e, à medida que o romance avança, a história do artista e do soldado emerge, entrelaçada com uma história de amor condenada e o progresso de uma pintura impregnada de História.
Deslumbrante do início ao fim, O Pintor de Batalhas arrasta o leitor e subjuga-o, através da complexa geometria do caos do século XX: a arte, a ciência, a guerra, o amor, a lucidez e a solidariedade combinam-se no vasto mural de um mundo que agoniza.

Editor: Edições Asa (2007)
Género: Romance
Páginas: 224
Original: El Pintor de Batallas

Um dia de Cólera

Heróis e cobardes, vítimas e verdugos, uma imensidão de nomes que a História apagou ou apenas reteve em listas de mortos e feridos ou relatórios militares. Todos esses homens e mulheres são autênticos e revivem nestas páginas o dia em que os seus gestos mudaram para sempre o destino de uma nação.
A 2 de Maio de 1808, Madrid foi cenário de uma revolução espontânea. O ressentimento gerado pela presença francesa intensificou-se e a população reagiu, por fim, aos abusos de que era alvo.
É a essa população que Pérez-Reverte dá voz em Um Dia de Cólera.
Um livro que não é ficção.
Que não é um documento histórico.
É, sim, uma história colectiva feita de pequenos e obscuros casos individuais. Uma história feita de luz e sombra. De pessoas que nada têm a perder e cuja união gera a cólera de que se fez uma revolução.

Editor: Edições Asa (2008)
Género: Romance
Páginas: 288
Original: Un dia de cólera
COMPRAR

A Sombra da Águia

A Sombra da Águia, que Arturo Pérez-Reverte publicou em 1993 nas páginas do El País sob a forma de folhetim, e que se encontrava até hoje inédita em Portugal, é, na sua aparente simplicidade, uma das obras que melhor espelha o virtuosismo literário do seu autor, o seu sentido de humor e a sua fidelidade aos grandes temas do ser humano, como a guerra, o heroísmo anónimo, a noção de Pátria.
A história é baseada num acontecimento real: em 1812, durante a Campanha da Rússia, num combate adverso para as tropas napoleónicas, um batalhão de antigos prisioneiros espanhóis, alistados à força no exército francês, tenta desertar, passando-se para os russos. Interpretando erroneamente o movimento, o Imperador encara-o como um ato de heroísmo e envia em seu auxílio uma carga de cavalaria que terá consequências imprevisíveis.
Ao mesmo tempo divertido e trágico, A Sombra da Águia revela-nos uma visão mordaz e descarnada da guerra e da condição humana. Uma pequena pérola com a assinatura do mais importante escritor espanhol da atualidade.

Editor: Edições Asa (2009)
Género: Romance
Páginas: 120
Original: La sombra del águila (1993)

O Assédio

Cádis, 1811. Nas ruas da mais liberal cidade europeia trava-se uma batalha muito singular. Jovens mulheres são encontradas mortas. E em cada lugar, momentos antes da descoberta do cadáver, explode uma bomba francesa. Estes acontecimentos traçam um estranho mapa sobre a cidade: um complexo tabuleiro de xadrez em que a mão de um misterioso jogador - um assassino impiedoso, o acaso, a direcção do vento, o cálculo das probabilidades - move as peças que determinam o destino dos protagonistas. Enredados neste enigmático jogo estão um polícia corrupto, a herdeira de um império comercial, um corsário sem escrúpulos, um taxidermista misantropo e espião, um guerrilheiro bondoso e um excêntrico artilheiro francês.
O Assédio reconstrói a extraordinária pulsação de um mundo de oportunidades perdidas. Retrata o fim de uma era e um grupo de personagens condenadas pela História, sentenciadas a levar uma vida que, tal como a cidade que os alberga - uma Cádis equívoca, enigmática e contraditória -, nunca mais será a mesma.

Editor: Edições Asa (2011)
Género: Romance
Páginas: 672
Original: El Asedio (2010)

Série As Aventuras do Capitão Alariste

A série As Aventuras do Capitão Alariste é actualmente composta por sete volumes, todos com edição portuguesa disponível. Esta série recorre a personagens reais e ficcionais para nos contar a história de um soldado espanhol ao serviço, o capitão Alariste, no século XVII.

O Capitão Alariste

As Aventuras do Capitão Alariste #1
Intriga e conspiração na decadente Madrid do século XVII. O regresso das aventuras de capa e espada, numa série que é um êxito em todo o mundo.
O capitão Alatriste é um espadachim a soldo que se movimenta no submundo da decadente corte espanhola do século XVII. Valente como poucos, aprendeu a combater na Flandres ao serviço do exército espanhol, mas, agora, as lutas são outras: entre vielas e tabernas, desafia perigosos assassinos, conspiradores e, até, a Santa Inquisição. Rodeado de personagens cativantes, como o seu pajem Iñigo Balboa, o poeta subversivo Francisco de Quevedo, o inquisidor frei Emílio Bocanegra, o assassino Malatesta ou o diabólico secretário do rei Luis de Alquézar, o capitão Alatriste vê-se envolvido nas intrigas e conspirações que caracterizam a Madrid do século XVII. É uma época de profundas convulsões geradas pelo envolvimento, por ordem do rei Filipe IV, em diversas guerras desastrosas. A série do capitão Alatriste, criada em 1996, é uma homenagem aos livros de aventuras, como por exemplo Os Três Mosqueteiros, que marcaram a iniciação à leitura de sucessivas gerações. Em dez anos, a série “Alatriste” já vendeu mais de cinco milhões de exemplares em todo o mundo.

Editor: Edições Asa (2006)
Género: Ficção
Páginas: 176
Original: El capitán Alatriste (1996)
COMPRAR

Limpeza de Sangue

As Aventuras do Capitão Alariste #2
O capitão Alatriste é um espadachim a soldo que se movimenta no submundo da decadente corte espanhola do século XVII. Valente como poucos, aprendeu a combater na Flandres ao serviço do exército espanhol, mas, agora, as lutas são outras: entre vielas e tabernas, desafia perigosos assassinos, copiadores da wb e, até, a Santa Inquisição. Rodeado de personagens cativantes, como o seu pajem Iñigo Balboa, o poeta subversivo Francisco de Quevedo, o inquisidor frei Emilio Bocanegra, o assassino Malatesta ou o diabólico secretário do rei Luis de Alquézar, o capitão Alatriste vê-se envolvido nas intrigas e conspirações que caracterizam a Madrid do século XVII. É uma época de profundas convulsões geradas pelo envolvimento, por ordem do rei Filipe IV, em diversas guerras desastrosas.

Editor: Edições Asa (2006)
Género: Ficção
Páginas: 176
Original: Limpieza de sangre (1997)
COMPRAR

O Sol de Breda

As Aventuras do Capitão Alariste #3
Flandres, 1625. Alistado como pajem do capitão Alatriste, Íñigo Balboa é uma testemunha excepcional da rendição da cidade de Breda, cujos pormenores narrará dez anos mais tarde para um quadro famoso do seu amigo Diego Velázquez. Seguindo o seu amo pela paisagem pintada no fundo desse quadro, no outro lado do bosque de lanças, vemos Íñigo empunhar pela primeira vez a espada e o arcabuz, lutando pela sua vida e pela dos seus amigos. Estocadas, assaltos, batalhas, desafios, encamisadas, pilhagens e motins da infantaria espanhola delimitarão o seu caminho através de um mundo devastado pelo Inverno e pela guerra.

Editor: Edições Asa (2007)
Género: Ficção
Páginas: 192
Original: El Sol de Breda (1998)
COMPRAR

O Ouro do Rei

As Aventuras do Capitão Alariste #4
De regresso a Espanha, o capitão Alatriste vê-se envolvido numa missão de vida ou de morte…
Sevilha, 1626. No seu regresso da Flandres, onde participaram no assédio e rendição de Breda, o capitão Alatriste e o jovem pajem Íñigo Balboa recebem a incumbência de recrutar um pitoresco grupo de bravos e espadachins, entre eles, Saramago, o Português, para uma missão perigosa, relacionada com o contrabando do ouro que os galeões espanhóis trazem das Índias. O submundo da turbulenta cidade andaluza, o Patio de los Naranjos, o calabouço real, as tabernas de Triana, os areais do Guadalquivir, são os cenários desta nova aventura, onde os protagonistas reencontrarão traições, lances e estocadas, na companhia de velhos amigos e de velhos inimigos.

Editor: Edições Asa (2008)
Género: Ficção
Páginas: 208
Original: El oro del rey (2000)

O Cavalheiro do Gibão Amarelo

As Aventuras do Capitão Alariste #5
Eu estava longe de imaginar até que ponto a belíssima actriz María de Castro ia complicar a minha vida e a do capitão, colocando-nos a ambos em gravíssimo perigo; para não falar da coroa do rei Filipe IV, que por esses dias andou literalmente no gume de uma espada. Tudo isto me proponho contar nesta nova aventura, provando desta forma que não há loucura a que o homem não chegue, abismo a que não se debruce, e lance que o diabo não aproveite quando há uma mulher bonita pelo meio.
A nova aventura do capitão Alatriste tem lugar nos vibrantes pátios de comédias da Madrid do século XVII.
Cruzando-se com velhos amigos e velhos inimigos, e com as famosas personagens da época, como Lope de Vega, Calderón de la Barca e o capitão Alonso de Contreras, Diego Alatriste e Íñigo Balboa enfrentam uma perigosa conspiração na Corte de Filipe IV.

Editor: Edições Asa (2009)
Género: Ficção
Páginas: 256
Original: El caballero del jubón amarillo (2003)

Corsários do Levante

As Aventuras do Capitão Alariste #6
Durante quase dois anos servi com o capitão Alatriste nas galés de Nápoles. Por isso falarei agora de escaramuças, corsários, abordagens, matanças e saques. Assim vossas mercês saberão como era respeitado, temido e odiado o nome da minha pátria também nos mares do Levante. Perseguições e batalhas navais um pouco por todo o Levante, perigosos galanteios em Nápoles, a luta contra os Turcos e saques no Chipre marcam a nova aventura do capitão Alatriste nas turbulentas águas do Mediterrâneo do século XVII.


Editor: Edições Asa (2010)
Género: Ficção
Páginas: 248
Original: Corsarios de Levante (2006)

A Ponte dos Assassinos

As Aventuras do Capitão Alariste #7
Nápoles, Roma e Milão são alguns dos cenários desta nova aventura do capitão Alatriste. Acompanhado pelo jovem Íñigo Balboa, Alatriste recebe ordens para intervir numa conspiração crucial para a Coroa espanhola: o assassinato do doge durante a missa do galo, em Veneza. O plano: impor, pela força das armas, um governo favorável à Corte do rei católico naquele poderoso e estratégico Estado italiano. Para Alastriste e seus camaradas - o veterano Sebastián Copons, o mouro Gurriato, o português Martinho de Arcada, entre outros - a missão afigura-se difícil, arriscada e cheia de surpresas. Suicida, talvez, mas não impossível.

Editor: Edições Asa (2010)
Género: Ficção
Páginas: 248
Original: Corsarios de Levante (2006)

Ver também...

Nenhum comentário:

Postar um comentário